Mercado Livre e Gol fazem parceria logística- Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

O Mercado Livre e a Gol anunciaram, nesta terça-feira, 19, uma parceria para o transporte de carga via modal aéreo com duração de 10 anos, cujo objetivo é agilizar as encomendas nas regiões Norte e Nordeste do país. O negócio envolve seis aeronaves da Gol modelo Boeing 737 e 800 e faz parte do pacote de investimento de R$ 17 bilhões que o Mercado Livre fará este ano no Brasil.

Com a força operacional da Gol, a maior plataforma de e-commerce da América Latina espera reduzir o prazo de entrega nas regiões contempladas de cerca de sete a oito dias para dois dias, disse Fernando Yunes, vice-presidente sênior do Mercado Livre no Brasil. Isso representa uma redução em até 80% do tempo de entrega, o que facilita a logística de recebimento das compras nas duas regiões.

“A expansão da frota aérea é vital para seguirmos com a missão do Mercado Livre de democratização do comércio eletrônico e torna-se ainda mais latente em um país de dimensões continentais como o Brasil. Com este reforço teremos voos diretos saindo de São Paulo e, considerando cargas armazenadas em Fulfillment, vamos reduzir o tempo de entrega para as Regiões Norte e Nordeste em até 80%”, afirmou Yunes.

Parceria matadora

Atualmente, o marketplace opera com três aeronaves para voos ao redor do Brasil, operadas via parceria com a Azul e Sideral — que continuam. A parceria com a Gol somará seis aeronaves já contratadas e de forma dedicada ao Mercado Livre. As primeiras três aeronaves entram em operação em junho, enquanto as demais estão previstas para 2023. O acordo prevê ainda um adicional de seis aeronaves até 2025. O acordo fechado entre as empresas é de 10 anos.

“O acordo vai triplicar nossa capacidade de voos ao redor do Brasil. A gente sai de três para nove aeronaves. Foi um modelo vencedor em todas as análises. Com isso, vamos sair de 10 milhões de pacotes e entregues de forma aérea por ano, para 40 milhões de pacotes”, observa Yunes.

A nova parceria deverá trazer uma economia para a Gol de R$ 25 milhões em 2022, uma vez que a empresa aérea  não precisará devolver as aeronaves aos arrendadores, conforme Paulo Kakinoff, presidente da Golf. No ano que vem, segundo ele, a previsão é de economia de R$ 75 milhões.

“Através da GolLog estamos formando novo modelo de negócio de grande relevância, a operação dedicada de aviões com transporte exclusivo de carga. São poucas aéreas no mundo que têm esse modelo de avião dedicado a clientes”, disse.

(Com assessoria e agências)