Mulheres detêm quase 40% de micro e pequeno negócios- Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

As mulheres são proprietárias de quase 39,9% de micro e pequeno negócios, no país segundo pesquisa realizada pela vhsys, especializada em sistema de gestão empresarial para empresas de pequeno porte. Para o levantamento, realizado em fevereiro de 2022, foram entrevistadas 822 pessoas.

Conforme o estudo, apenas 33,2% dos negócios foram fundados por mulheres, enquanto 66,8% por por homens. O centro-oeste e o Nordeste são as regiões que possuem maior concentração de mulheres como donas dos empreendimentos, com 44,3% e 42,6%, respectivamente, seguidos por Sul (40,8%), Sudeste (37,5%) e Norte (35,8%).

O Brasil está entre os 10 países com o maior número de mulheres empreendedoras, ocupando o 7º lugar no mundo, segundo dados Sebrae e da Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

Quando os respondentes foram questionados sobre o número de lideranças femininas no quadro de colaboradores, 40,9% deles responderam que a presença feminina chega a até 10% na empresa e apenas 22,7% afirmaram que a presença delas ultrapassa a marca de 50%.

Além disso, 27,4% dos entrevistados disseram que sua empresa possui até 10% delas em cargos de liderança, 16,1% que possuem até 50% delas no quadro de gestores e, somente 17,6% das respondentes disseram que há mais de 50% de mulheres entre seus gestores. Já 28,3% afirmaram que não possuem presença feminina em posições de liderança.

Mulheres lideram o comércio

O segmento do Comércio é o que concentra o maior número de empresárias (45,5%), seguido da Indústria (32,6%) e por último Serviços (31,9%).

A pesquisa mostra ainda que os principais desafios enfrentados pelas mulheres no empreendedorismo atualmente envolvem preconceito, machismo, jornada dupla/tripla e a falta de respeito.

Quanto aos estudos separados por gêneros, o público masculino demonstra enxergar que preconceito, desigualdade de oportunidades/falta de oportunidade, machismo e as mesmas questões presentes nas jornadas de empreendedorismo dos homens estão entre os principais desafios para o avanço das mulheres.

Já as mulheres listaram preconceito, sobrecarga/múltiplas jornadas (principalmente no que diz respeito a conciliar maternidade, tarefas domésticas e trabalho), falta de respeito e machismo.

(Com assessoria)