Musk compra twitter.-marca-digital-money-informe.jpeg 22 de julho de 2021

Acionistas pressionaram conselho para aprovar a oferta. Crédito: Freepick

O milionário Elon Musk conseguiu nesta segunda, 25, acertar a compra do Twitter. Ele adquiriu a plataforma por cerca de US$ 44 bilhões. Ele havia feito a oferta e indicado que, se concluisse a compra, iria fechar o capital da empresa.

Musk, que já tinha 9% das ações da empresa, compradas no início deste mês, fez o que o mercado chama de “oferta hostil”: foi direto nos acionistas, sem passar pelo conselho da empresa. Este rebateu com uma ação comercialmente denominada “pílula de veneno”, ato realizado para defender os demais acionistas.

Mas a proposta de Musk atraiu os acionistas. Segundo as agências internacionais, as reuniões para aceitar ou não a oferta começaram já no domingo, 24. Na pré-abertura do mercado de Nova York, as ações do Twitter já haviam subido 5% e a expectativa já apontava para que o negócio fosse fechado ainda nesta segunda-feira.

Com a ascensão, as ações do Twitter chegaram a cerca de US$ 51,50 por ação. Em sua oferta, Musk pagou US$ 54, 20 por ação, o que fez com que os 11 membros do conselho da empresa considerassem seriamente sua proposta.

No exterior, vários analistas disseram que esperavam que o conselho do Twitter só aceitasse uma oferta que o avaliasse em um mínimo de US$ 60 por ação.

As ações do Twitter subiram acima de US$ 70 por ação no ano passado, quando a empresa anunciou metas para dobrar sua receita, mas desde então caíram para cerca de US$ 48, já que os investidores questionaram sua capacidade de atingir essas metas.

Mais reações

A possibilidade de que, ao ser adquirido por Musk, o Twitter vire uma empresa de capital fechado gerou reações na própria plataforma, que foi fundada em 2006. No início da tarde desta segunda, 25, usuários colocaram o assunto “RIP Twitter” (rest in peace, Twitter, ou, na tradução, descanse em paz, Twitter) no top 10 dos mais comentados.