Nuvem nativa e inovação responsável entre as estratégias do SAS

por | 16 maio, 2022 | Branded Content, SAS

CTO do SAS anuncia estratégias para abertura de capital. Crédito: Divulgação

O SAS anunciou em maio as suas estratégias: computação em nuvem nativa – cloud first approach -, investimentos em tecnologias emergentes como Inteligência Artificial para a Indústria, parcerias estratégicas, ética em tecnologia e inovação responsável foram alguns dos destaques apresentados evento global realizado para a imprensa. A empresa vem apostando em uma estratégia que prioriza a nuvem e o resultado é que a receita mundial de cloud computing da companhia cresceu 19% em 2021, apesar dos desafios da pandemia. A corporação também se prepara para a abertura do capital.

Para Bryan Harris, vice-presidente executivo e Chief Technology Officer (CTO) do SAS, vivemos um momento único. As organizações ao redor do mundo continuam experimentando transformações disruptivas; as alterações promovidas pela pandemia exigem mudanças e emergem tecnologias como criptomoedas e blockchain. Ele afirma que há duas tecnologias que vão permitir as empresas participarem das mudanças e disrupções futuras: cloud e IA.

“Os early adopters que estão investindo na transformação da nuvem estão acompanhando o mercado e se beneficiando com a melhoria dos negócios. À medida em que os negócios mudam para a nuvem, estamos vendo um crescimento exponencial na forma, no volume e na complexidade dos dados. A organização deve se profissionalizar em aprendizado de máquina e IA. O SAS está em uma posição privilegiada para a transição de nossos clientes para a nuvem e também para acelerar a adoção de analytic, machine learning e IA”, defendeu Harris na abertura do evento.

O portfólio baseado em nuvem segue em ampliação com novas soluções verticais e novos parceiros estratégicos. Harris anunciou cinco áreas-foco, entre as quais a de produtos analytics e IA nativos em cloud. Em 2021, a empresa anunciou parcerias com os provedores Microsoft Azure, AWS, Google Cloud e Red Hat. Houve ainda soluções Open Source e on premises para verticais de bancos, governo, manufatura, varejo, saúde e ciências da vida. A empresa anunciou também três novos produtos.

Gêmeos Digitais

O SAS iniciou sua abordagem para a nuvem com o desenvolvimento da plataforma de analytics em nuvem SAS Viya, e evoluiu com diversas parcerias estratégicas, incluindo a Microsoft Azure. Mais recentemente, o SAS se uniu ao novo parceiro Cosmo Tech para fortalecer as capacidades de simulação de gêmeos digitais.

Estudo da Forrester Consulting mostrou que as organizações que usam a plataforma do SAS na Microsoft Azure obtêm retorno significativo do investimento em apenas 14 meses. O relatório mostra ainda que uma das empresas que usam Viya em Azure mais do que triplicou os investimentos em três anos.

O estudo Total Economic Impact do SAS Viya on Azure também aponta que, antes de implementar o SAS Viya on Azure, os entrevistados observavam dificuldades na construção, implementação e gerenciamento de modelos de Inteligência Artificial, especialmente devido às barreiras de acesso aos dados e às diferentes fontes de dados.

Cloud movimentará US$ 800 bilhões até 2024

A expectativa é de que os investimentos em nuvem continuem crescendo. De acordo com a McKinsey, 70% das empresas que já usam nuvem planejam aumentarem os orçamentos voltados para cloud. O mercado de nuvem pública deve crescer e atingir US$ 800 bilhões até 2024, com implementações em todos os setores – varejo, mídia, telecomunicações, educação, bancos, seguros, entre outros.

“Transformamos nosso portfólio para que fosse nativo em nuvem e portátil entre nuvens, para acelerar a transformação digital dos clientes e aumentar cada vez mais o uso de analytics, machine learning e IA.  Queremos que nossa plataforma e nossas soluções verticais sejam partes essenciais na inovação analítica de cada cliente”, reiterou Bryan Harris, VP executivo e CTO do SAS.

Como o SAS não só prioriza a nuvem como também é agnóstico, ajudar os clientes na gestão das complexidades da análise de dados intensiva é natural. A empresa destaca alguns case globais de clientes que usam solução SAS em projetos de inovação.  O North Caroline Collaboratory analisa dados de sensores IoT dos freezers de armazenamento de vacinas contra a Covid-19 para reforçar a integridade da cadeia de frio e otimizar a entrega das doses, especialmente às comunidades carentes e rurais.

O Grupo Iveco, fabricante mundial de caminhões, utiliza o SAS Viya, cujas análises na nuvem ajudam a reduzir recall de caminhões, resolvendo de forma proativa os problemas dos clientes antes que se tornem grandes problemas. A Receita Federal da Nova Zelândia usa a mesma solução para promover compliance, poupar dinheiro dos contribuintes e melhorar a experiência do cliente.

A Georgia-Pacific usa o SAS Analytics for IoT, da SAS Viya na AWS, e reduziu em 30% o tempo de paralisação não planejada nas fábricas além de conseguir detectar problemas na cadeia de suprimentos mais cedo para garantir que as entregas comerciais cheguem a tempo e na íntegra.

São várias as soluções de inteligência artificial. O SAS 360 Match, plataforma de veiculação de anúncios baseada em nuvem, é totalmente integrada com outras tecnologias SAS. O SAS Clinical Enrollment Simulation Cloud, na modalidade as a service, desenvolvida na SAS Viya, permite que organizações de saúde e empresas farmacêuticas simulem virtualmente o resultado de processos complexos de ensaios clínico. Já o SAS Grid Guardian AI, solução analítica de IoT ajuda distribuidoras de energia a reduzir custos, proteger trabalhadores de campo e melhorar a confiabilidade da rede elétrica.

Inovação responsável

O SAS também tem investido na Prática de Ética de Dados do SAS, que lidera o esforço colaborativo de orientação para o uso de tecnologias poderosas com controles apropriados e envolvimento humano.   Para a empresa, a inovação responsável nunca foi tão relevante como agora, devido ao uso crescente e ferramentas de dados e de IA.

Para o SAS, tecnologias como inteligência artificial e machine learning oferecem oportunidades interessantes para aumentar as capacidades humanas em muitas áreas. Entretanto, se desenvolvidas e empregadas sem os controles apropriados e envolvimento humano, essas tecnologias podem fazer mais mal do que bem. A inovação responsável inclui, mas não se limita a, tópicos importantes como IA, algoritmos e vieses durante todo o processo de inovação.

“Ao colocar pessoas no centro do processo de inovação, o SAS se compromete a construir um mundo onde os dados exaltam e capacitam a todos”, diz Harris. “A empresa tem estado no centro da evolução da ciência de dados e tem conhecimento e experiência para contribuir de forma importante com o esforço global de inovação responsável”.

A prática de ética de dados da SAS

A Prática de Ética de Dados (DEP) do SAS consiste em uma equipe multifuncional que coordena um esforço global para ajudar colaboradores e clientes a implementar sistemas orientados por dados que promovam o bem-estar humano, a capacidade e a igualdade. A equipe é liderada por Reggie Townsend, recentemente nomeado para o Conselho Nacional de Consultoria de IA do Departamento de Comércio dos EUA (NAIAC). Ele também faz parte da diretoria da EqualAI, uma organização sem fins lucrativos focada em reduzir o viés inconsciente no desenvolvimento e uso da IA.

Townsend e a DEP assessoram e se coordenam com a área de Pesquisa e Desenvolvimento do SAS e outros grupos dentro da empresa para incorporar princípios de inovação responsáveis como o foco nas pessoas, inclusão, transparência, responsabilização, robustez e privacidade e segurança.

(com assessoria de imprensa).