Placa de wall street com bandeiras americanas ao fundo

Crédito: Freepik

A recuperação econômica dos EUA continua no caminho certo, apesar do aumento nas infecções por coronavírus, disse, em comunicado, o  Federal Reserve, o banco central americano, em uma nova declaração de política que permaneceu otimista e sinalizou as negociações em torno da eventual retirada do apoio à política monetária, reportou a Reuters.

O mercado reagiu bem e por conta do comunicado, os ativos de risco voltaram a ganhar força dado a manutenção de elevada liquidez nos mercados e a diminuição dos riscos de retirada mais rápida dos estímulos. A bolsa brasileira saltou de alta de 0,50% para 1,50% e o dólar voltou aos níveis de 5,125 (caindo cerca de 1% no dia).

Thomás Gibertoni, analista da Portofino Multi Family Office, destacou que pós o comunicado o presidente do Fed, Jerome Powell,  ressaltou que o aumento da inflação permaneceu como resultado de fatores transitórios e que deve manter as compras mensais de títulos inalteradas até que perceba maiores progressos da economia.

“O Fed continua preso a uma armadilha de liquidez que só deve ser, de fato, discutida em agosto, começando de maneira muito branda e com o foco em hipotecas”, ressalva Gibertoni.

Ele observa que Powell, deixou claro que ainda há muito progresso a ser feito para volta do pleno emprego, cerca de 8 milhões de pessoas que estavam trabalhando antes da crise, agora estão desempregadas. “Além disso, reforçou que os dados de inflação continuam a ser transitórios e que todos os focos de inflação têm explicações” completa Givertoni.

Em coletiva de imprensa, Powell, disse que o mercado de trabalho dos EUA ainda tem “algum terreno a cobrir” antes que seja hora de retirar o apoio econômico que o banco central dos EUA colocou em prática na primavera. de 2020 para combater os choques econômicos da pandemia do coronavírus. (Com agências internacionais).