Crédito: Divulgação

O pagamento por aproximação tem registrado um forte crescimento no Brasil, principalmente a partir da pandemia, quando a solução tecnológica ajudou na prevenção contra a Covid-19, evitando o contato entre pessoas e superfícies. O relatório do primeiro trimestre de 2021 da Abecs, associação que representa a indústria de cartões, revela que o meio de pagamento teve um aumento de 372%, comparado ao mesmo período do ano passado.

Ao todo foram R$ 18,6 bilhões em transações em todo o Brasil, nos primeiros três meses de 2021. O cartão de crédito figura em primeiro lugar, com R$ 11,1 bilhões, seguido de cartão de débito, com R$ 5,1 bilhões, e do cartão pré-pago, com R$ 2,3 bilhões.

Esse crescimento pode ser verificado no MetrôRio, que implantou a solução em 2019 e revelou que só nos últimos seis meses o pagamento por aproximação registrou aumento de 140%. Em dois anos de funcionamento, foram mais de 1,4 milhão de pagamentos realizados e, apenas no período de pandemia, de março de 2020 até agora, a empresa registrou mais de meio milhão de transações pelo método NFC, batendo recordes de utilização nos últimos quatro meses.

A maior parte das operações com NFC nos transportes do MetrôRio, 77%, foi feita por meio de cartões pré-pago, crédito e débito, já os pagamentos realizados por outros dispositivos habilitados, como celulares, relógios e pulseiras foram responsáveis pelos outros 23% do total.