Patrimônio dos fundos de pensão fecha em R$ 1,14 tri o semestre-crédito-Freepik

Crédito: Freepik

Apesar das incertezas políticas e econômicas do momento, o patrimônio consolidado dos fundos de pensão fecha o primeiro semestre deste ano em R$ 1,14 trilhão, com alta de quase 9% em relação aos R$ 1,05 trilhão alcançados no final do ano passado, conforme divulgou a Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), nesta sexta-feira, 15.

O balanço mostrou também que o número de pessoas beneficiadas pelo sistema superou 7,4 milhões, sendo 2,8 milhões de participantes, 3,8 milhões de dependentes e 838 mil assistidos.

De acordo com balanço, 121 entidades apresentaram resultado positivo de janeiro a junho deste ano, com superávit somado de R$ 48,2 bilhões. Enquanto 118 fundos de pensão tiveram resultados negativos, que somaram R$ 29,1 bilhões.

A rentabilidade consolidada das entidades foi de 7,26% de janeiro a junho, acima da taxa de juros padrão (rendimento mínimo das entidades), que foi de 6,62% no período.

Planos família em alta

Para a Abrapp, os planos família, que permitem a inclusão de parentes de participantes, foi um dos destaques do semestre. Essa alternativa já conta com 34 planos e soma um patrimônio de R$ 519 milhões em 2021, o que representa um aumento de 57% em relação ao exercício de 2020. A expectativa da associação é que essa modalidade chegue a 120 planos no próximo ano e responda por um patrimônio de R$ 2 bilhões.

Luis Ricardo Martins, presidente da Abrapp, afirmou que a organização está em negociação com o Conselho Monetário Nacionao (CVM) para aumentar o limite da alocação de investimentos no exterior de 10% para 20%, a partir do primeiro semestre do ano que vem, de forma a ter mais uma alternativa de diversificação.