Pinterest bane desinformação sobre crise climática -credito-freepik

Crédito: Freepik

O Pinterest, rede social baseada no compartilhamento de imagens, informou nesta quarta-feira, 6, que está banindo informações falsas e enganosas sobre crise climática e teorias da conspiração em sua plataforma. A nova política abrange não só publicações dos internautas como anúncios e publicidades.

Com mais de 459 milhões de usuários ativos mensalmente em todo o mundo, dos quais 46 milhões situados no Brasil, o Pinterest disse que não permitirá conteúdo que possa “prejudicar o bem-estar, a segurança ou a confiança do público”, como materiais que negam a existência ou a influência humana nas mudanças climáticas.

A plataforma disse que removerá conteúdo falso ou enganoso sobre soluções para crise climáticas que contradizem o consenso científico e materiais que deturpem dados científicos para corroer a confiança na ciência. E agregou que também proibirá conteúdo falso ou enganoso sobre emergências como desastres naturais ou eventos climáticos extremos.

“O Pinterest acredita na manutenção de um espaço que seja confiável e verdadeiro para as pessoas que usam nossa plataforma”, disse Sarah Bromma, diretora de políticas do Pinterest, por meio de um comunicado. Essa medida ousada, segundo ela, é uma ampliação das diretrizes mais abrangentes da empresa contra a desinformação, que foi desenvolvida inicialmente em 2017 para lidar com questões de saúde pública.

“A política expandida expandida de desinformação climática é mais um passo no sentido de combater a desinformação e criar um espaço seguro online”, afirmou.

Empresas de mídia social, incluindo o Pinterest, estão sob crescente pressão para conter a desinformação em seus sites, embora alguns políticos e usuários apontem exageros em suas regras de conteúdo.