O diretor-presidente do Bradesco, Octávio Lazari, disse hoje, 22, que a economia brasileira precisa ultrapassar dois desafios importantes: o controle da inflação e a simplificação tributária. Para executivo, “o Banco Central terá que que se utilizar de todos os instrumentos de política monetária para poder segurar essa inflação, porque vai correr os salário, e o que é o pior, o salário dos mais pobres. Esse é um grande problema, controlar a inflação, mantendo a disciplina fiscal”, afirmou.

Convencido de que o “ótimo” é inimigo do bom, Lazari defendeu a necessidade de o Congresso Nacional promover uma simplificação na forma de cobrança dos impostos, medida que acredita ser mais viável do que uma reforma tributária no sentido amplo.

“O Brasil é o país que gasta mais horas para uma empresa poder pagar os impostos. Nós gastamos 1,5 mil horas por ano somente para pagar imposto. Uma teia de problemas burocráticos. Uma reforma tributária seria o sonho de consumo, mas o ótimo é inimigo do bom. Se pensarmos em uma simplificação tributária já seria um grande passo”, afirmou Octávio Lazari

Economia

O executivo também lida com projeções de crescimento do PIB brasileiro em 5% este ano, e com um outro indicador positivo, que é a dívida pública, que  ficará menor do que o projetado “A dívida pública vai ficar em 85% do PIB, muito melhor do que os quase 100% que se falava há poucos meses”, disse. Lazari, que defendeu também a manutenção dos programas de privatizações.

Para ele, as empresas que não tiverem a centralidade no cliente, e serem social e ambientalmente responsáveis, “vão deixar de existir”, afirmou. O executivo participou do Ciab 2021, organizado pela Febraban.