QuintoAndar estreia operação no México-credito-freepik

O Congresso começa amanhã, quarta e vai até sexta, sempre à tarde. Crédito: Freepik

O QuintoAndar, corretora imobiliária digital, informou nesta terça-feira, (21), que estreia no México sua primeira operação internacional, anunciada cerca de dois meses após ter demitido 160 funcionários (4% de seu quadro) no Brasil, sob alegação da necessidade de priorizar linhas de negócio de maior rentabilidade. A estratégia da empresa no exterior é buscar o impulso para manter o crescimento.

Para analistas as demissões são consideradas mais uma estratégia de remodelação para perpetuar o caixa que a empresas têm hoje, enquanto os próximos investimentos não acontecem.

Sob a marca “Benvi”, a companhia criada em 2013 começa a funcionar na Cidade do México, esperando reproduzir seu sistema de aluguel que, em vez de cobrar seguro ou fiador aprova os locatários com base numa análise de crédito.

“A escolha pelo país é motivada pelo tamanho e similaridade entre os dois mercados, como burocracia, garantias financeiras complexas, pouca agilidade e flexibilidade nas negociações, cadeia fragmentada e gestão assimétrica e informal de propriedades”, afirmou o QuintoAndar em comunicado.

O anúncio ocorre após o QuintoAndar ter comprado em dezembro passado o braço imobiliário do Grupo Navent, que além de México e Brasil tem operações em Argentina, Equador, Panamá e Peru. O plano de entrar no México havia sido revelado meses antes, junto com a conclusão de um aporte de US$ 420 milhões que avaliou o QuintoAndar em US$ 5,1 bilhões.

A plataforma, que opera em cerca de 75 cidades no Brasil, com 175 mil contratos ativos de aluguel e R$ 90 bilhões em ativos sob gestão.

No mês passado, a companhia anunciou um portal para conectar imobiliárias e corretores pelo país, gerando negócios num modelo colaborativo para transações como compra e venda de imóveis, substituindo uma linha de negócios proprietária da empresa.

Em 2022, várias empresas de alto crescimento baseadas em tecnologia anunciaram demissões no Brasil diante da deterioração do cenário econômico, com o Banco Central elevando o juro básico para tentar domar a inflação anual de dois dígitos.

(Com Reuters)