Crédito: FreepikO crédito ampliado ao setor não financeiro alcançou R$ 12,5 trilhões (165,4% do PIB), crescendo 16,9%, comparado a 2020, e 1,5% em relação a fevereiro de 2021. O resultado foi divulgado pelo Banco Central nesta quinta-feira, 29.

A variação mensal refletiu, principalmente, o crescimento do saldo de empréstimos, tanto aqueles tomados no mercado doméstico quanto os que integram a dívida externa. Já a variação em 12 meses é influenciada pelo crescimento da carteira de títulos públicos, assim como pelo crescimento da carteira de empréstimos nesse período, segundo nota do BC.

O crédito ampliado às empresas somou R$4,4 trilhões (57,9% do PIB), com crescimento de 2,8% no mês e de 12,4% em doze meses, mantendo comportamento similar ao mês anterior. Já o crédito ampliado às famílias totalizou R$2,5 trilhões (33,1% do PIB), com crescimento de 1,0% no mês e de 11,6% em doze meses, explicado pela variação dos empréstimos do SFN – que cresceram, respectivamente, 1,0% e 12,1%.

O saldo das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) somou R$ 4,1 trilhões em março, com crescimento de 1,5% no mês. O crescimento em doze meses da carteira total desacelerou de 16,1%, em fevereiro, para 14,5%, em março.