SAS amplia diversidade para todas as carreiras

por | 17 jan 2022 | SAS

 

Prio em busca da diversidade no SAS-divulgação-2022-digital-money-informe

O objetivo é diversificar os times de todas as áreas da empresa, diz Samuel Prior

O SAS está ampliando seu programa de diversidade prevendo que todas as vagas abertas no SAS Brasil sejam voltadas para pessoas com deficiência de maneira prioritária. O programa está sendo conduzido por meio da parceria anual com o Oportunidades Especiais, portal especializado em projetos de empregabilidade voltado a pessoas com deficiência (PCD). Desde o início da parceria, o SAS já recebeu centenas de manifestações de interesse em vagas disponíveis em seu site e planeja contratar profissionais PCD para todas as áreas e todos os níveis hierárquicos.

O projeto  faz parte de um extenso programa de diversidade e inclusão do SAS, que tem como objetivo diversificar os times de todas as áreas da companhia e preparar uma liderança inclusiva.

“Já temos um programa amplo de diversidade contemplando raça, credo, gênero orientação sexual e idade. O SAS vem em um movimento grande de globalização, e, no ano passado, houve um esforço amplo para que todos os países tomassem iniciativas que trouxessem oportunidades relacionadas a diversidade e inclusão. Quando falo em oportunidades, me refiro a todos os subsistemas de RH: o interno, com oportunidades dos próprios funcionários do SAS para que abram novas vagas, e também da minha área de aquisição de talentos para a América Latina, abrangendo sete países diferentes”, diz  Samuel Prior, Talent Acquisition Partner do SAS para América Latina.

Ele informa que o Brasil é o país onde há parcerias mais avançadas nesse sentido. A Ideia foi criar situações e pensar em maneiras de a empresa se aproximar do público diverso e como fazer com que a estrutura atual esteja adequada para receber esses recursos. Dentro do programa, o SAS oferece aos profissionais acompanhamento psicológico para lidarem com eventuais dificuldades de adaptação ao trabalho, bem como assistência legal para auxiliar com qualquer situação em que o empregado se sinta lesado. Existe também o suporte da área de accommodation, responsável por adaptar o ambiente da empresa para receber todos os perfis de profissionais.

Treinamentos

Além disso, os gestores do SAS estão passando por treinamentos e programas de conscientização para lidar de maneira inclusiva e acolhedora com os colaboradores. Outra preocupação foi como fazer para conseguir a comunicação utilizando canais diferentes para chegar a esses públicos. Prior diz que a lei determina a contratação de profissionais com deficiência de acordo com o número de funcionários que a empresa tem. No caso da empresa, é necessário acima de cinco profissionais PCD. Porém, o SAS quer ir além do que prevê a lei.

“Nem estamos olhando para a conta PCD, e sim para criar um ambiente que seja mais inclusivo e maneiras de nos comunicarmos com essa audiência. Em termos de atração de talentos, pensei em como trazer esse profissional para próximo do SAS. Inicialmente, tentamos nos comunicar diretamente com essa audiência, mas é um esforço bastante difícil para empresa que tem um grande público, mas que não tinha a ver com o público diverso. Por isso, optamos por uma parceria com empresas que pudessem alavancar essa comunicação e a exposição do SAS com esse tipo de audiência. Encontramos o Oportunidades Especiais em junho de 2021. Hoje ele é o canal responsável por fazer o marketing de todas as posições do SAS em seu portal e nas mídias sociais”, explica Prior.

Ele conta que já foram recrutados dois profissionais até o momento, para a área de serviços profissionais de consultoria. Eles vão atuar dentro dos clientes SAS. Prior  diz que o objetivo é ser o mais inclusivo possível e não há um número pré-definido de contratações. O objetivo é traduzir todas as oportunidades do SAS também para os PCDs.

“Queremos mudar o ambiente onde trabalhamos para que haja conscientização e mais aberturas de posições. Quero trazer profissionais que possam atuar em qualquer área. Estamos fazendo um movimento para conscientizar nossos gerentes e lideranças. Um dos esforços, por exemplo, é abrir vagas vagas Juniores, para as quais temos mais capacidade de trazer esses recursos, e assim preparar os profissionais e coloca-los de volta ao mercado, fazendo nossa parte de marca empregadora, diversa e formadora”, destaca.

Um dos programas de estágio foi voltado para a carreira de cientista de dados. Foram contratados 20 estudantes, dez dos quais com viés diverso e de PCDs. A ideia foi começar com a base da pirâmide para contratar alguns e oferecer os demais ao mercado, permitindo criar uma carreira em empresas clientes e parceiras. Outra turma será contratada até maio com mais dez vagas.

“Há muita solicitação de clientes que nos pedem ajuda para encontrar profissionais com experiência em SAS. O mercado de tecnologia é superaquecido, e há escassez de recursos. Estamos criando um sistema em que esses alunos vão sair da faculdade já formados em SAS e poder entrar em qualquer empresa”, diz Prior.

A parceria com o Oportunidades Especiais trouxe também aos colaboradores do SAS um curso introdutório de libras com 15 video-aulas e tutoriais a respeito de diversidade e inclusão, palestra com um consultor especialista em conscientização sobre o universo PCD, além da adoção de um intérprete de libras em todos os eventos internos da organização, visando a garantir um ambiente propício para o acolhimento de pessoas com limitações físicas ou intelectuais.

Além do programa com o Oportunidades Especiais, o SAS tem outras iniciativas de diversidade. Com o Rotary Clube, busca recrutar pessoas de outras camadas da população em termos de gênero, raça ou região.

“Temos necessidade de trazer pessoas que pensem de maneira diferente. Estamos falando de diversidade de credo, raça, gênero e até idade. Acabamos de contratar uma profissional sênior com grande experiência que estava no mercado. Precisamos conscientizar nossos gerentes para contratar profissionais sem se importar com a idade”, conclui Prior.