Sem finalizar o ciclo de altas, BC eleva juros para 13,75% ao ano - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

Pela 12ª vez consecutiva, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a taxa básica de juros, Selic, por 0,50 ponto percentual, passando para 13,75% ao ano. A decisão foi por unanimidade.

Em nota divulgada no início da noite desta quarta-feira, 3, o Copom citou o ambiente externo “adverso e volátil, com maiores revisões negativas para o crescimento global em um ambiente inflacionário ainda pressionado. O processo de normalização da política monetária nos países avançados tem se acelerado, impactando o cenário prospectivo e elevando a volatilidade dos ativos”.

Em relação à atividade econômica interna, o comitê afirmou que, no Brasil, houve a retomada no mercado de trabalho mais forte do que era esperada. Apesar de um certo otimismo no âmbito nacional, o Copom ressaltou que “permanecem fatores de risco em ambas as direções” em seus cenários para a inflação.

Até o mês de maio, os comunicados do BC indicavam que a autoridade monetária pretendia encerrar o ciclo de elevações em junho. No entanto, altas no exterior além do previsto, como do Federal Reserve (o Banco Central dos Estados Unidos) e do Banco Central Europeu adicionaram pressão sobre os juros brasileiros.

A sinalização do Copom considerou que, diante de suas projeções e do risco de desancoragem das expectativas para prazos mais longos, “é apropriado que o ciclo de aperto monetário continue avançando significativamente em território ainda mais contracionista”, informou.

O Comitê enfatizou que irá manter sua estratégia até que se consolide não apenas o processo de desinflação, como também a ancoragem das expectativas em torno de suas metas. “O Comitê avaliará a necessidade de um ajuste residual, de menor magnitude, em sua próxima reunião”, previu a nota do Copom.

“O Copom enfatiza que seguirá vigilante e que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar a convergência da inflação para suas metas. Nota ainda que a incerteza da atual conjuntura, tanto doméstica quanto global, aliada ao estágio avançado do ciclo de ajuste e seus impactos acumulados ainda por serem observados, demanda cautela adicional em sua atuação”.

“Considerando os cenários avaliados, o balanço de riscos e o amplo conjunto de informações disponíveis, o Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual, para 13,75% a.a. O Comitê entende que essa decisão reflete a incerteza ao redor de seus cenários e um balanço de riscos com variância ainda maior do que a usual para a inflação prospectiva, e é compatível com a estratégia de convergência da inflação para o redor da meta ao longo do horizonte relevante, que inclui o ano de 2023 e, em grau menor, o de 2024”, concluiu.