Jânyo Diniz, CEO da Ser Educacional - Crédito: Divulgação

Jânyo Diniz, CEO da Ser Educacional – Crédito: Divulgação

A Ser Educacional anuncia a criação de um banco digital com foco no mercado do ensino superior. A ideia é atender, inicialmente, sua base formada por cerca de 300 mil alunos e 13 mil funcionários e, numa segunda etapa, estender os serviços financeiros a outros grupos educacionais e público geral.

O pedido para abertura do banco digital já foi feito ao Banco Central e, até a sua aprovação, a b.Uni vai operar como uma fintech.

De acordo com Janguiê Diniz, fundador e presidente do Conselho da Ser Educacional, o lançamento do b.Uni tem como objetivo inserir o aluno no mercado financeiro. “Trata-se da primeira fintech de contas digitais lançada por uma instituição de ensino superior no Brasil, uma ideia inovadora porque vamos nos dedicar a criar produtos e serviços financeiros pensados para alunos, já que conhecemos muito bem suas necessidades e particularidades”.

A nova fintech tem patrimônio inicial de R$ 3 milhões e faz parte do projeto da companhia de investir R$ 100 milhões em startups ligadas à educação neste ano de 2021.

Cashback

“Queremos possibilitar aos estudantes o acesso a produtos e serviços financeiros, trazendo benefícios que visam facilitar sua vida educacional, como cashback para aqueles que pagam suas mensalidades pontualmente, contribuindo assim para o desenvolvimento de sua educação financeira”, disse Jânyo Diniz, CEO da Ser Educacional.

A b.Uni começa a operar em dezembro com o depósito de salário dos funcionários e oferta de abertura de conta a alunos que vão fazer suas rematrículas. Os boletos das mensalidades também começam a ser processados pela nova fintech.

“As próximas etapas do b.Uni envolvem a disponibilização de produtos diferenciados de crédito para esse segmento, além de cartões de crédito, seguros e outros. É uma oportunidade para que os jovens possam, não apenas ter serviços financeiros de forma fácil e rápida, mas também que a sua jornada no ensino superior seja facilitada e completa”, destaca João Aguiar, diretor financeiro do Ser Educacional e CEO do b.Uni.

(com assessoria)