Servidores do BC mantêm greve por tempo indeterminado - Crédito: Flickr BC

Sede do Banco Central, em Brasília – Crédito: Flickr BC

Os servidores do Banco Central decidiram manter a greve por tempo indeterminado. A manutenção do movimento foi aprovada por 90% dos votos válidos em assembleia virtual da categoria realizada nesta terça-feira, 24.

Estão suspensos os boletins e divulgações regulares da autoridade monetária, como o Boletim Focus, os dados do fluxo cambial e as estatísticas fiscais, de crédito e do setor externo. Há também atrasos na divulgação da taxa Ptax diária. O Pix e o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) estão em operação.

Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), Fabio Faiad, não há qualquer agenda marcada com a diretoria do Banco Central para retomar as negociações. A categoria pede recomposição salarial de 27%, além de pautas de reestruturação de carreira.

O governo anunciou a possibilidade de dar um reajuste de 5% para todos os servidores, cuja proposta desagradou boa parte dos servidores do BC por estar longe de compensar a perda inflacionária. A reivindicação de 27% de reajuste é para compensar a inflação dos anos em que não houve aumento de salário.

O reajuste para todos os funcionários foi a forma encontrada pelo governo para não ampliar o movimento grevista e calcula-se que terá um custo de R$ 6,3 bilhões somente em 2022. Para que essa proposta se efetive, no entanto, o governo terá que contar com o Congresso Nacional para alterar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

A greve dos servidores do BC foi iniciada no dia 1º de abril. De 20 de abril a 2 de maio, a categoria fez uma trégua, como um “voto de confiança” ao presidente do BC e na tentativa de avançar nas negociações do governo. Mas, sem novidades, retomou a paralisação no dia 3 de maio.

No dia 12 de maio, o Banco Central apresentou uma minuta de Medida Provisória ao Ministério da Economia com proposta de reajuste salarial dos servidores de 22% e reestruturação das carreiras. O BC, no entanto, recuou e retirou a proposta, alegando inconsistências no texto apresentado.