Crédito: Freepik

O Sicoob é a instituição financeira que mais oferece crédito aos pequenos negócios durante a pandemia, segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, em parceria com a FGV. Comparado com grandes players do mercado bancário e do cooperativo, a instituição obteve uma taxa de 52% neste quesito este ano, em relação aos 25% atingidos em 2020.
“O resultado reflete nossa atuação em oferecer um crédito mais justo e sustentável, demonstrando que realmente apoiamos nossos cooperados durante a crise”, diz Francisco Reposse Júnior, diretor comercial e de canais do Sicoob
Para a realização da pesquisa foram entrevistadas 7.820 pessoas em todo o Brasil durante o mês de maio de 2021.

O Sicoob foi também destaque entre as instituições mais buscadas, ficando atrás apenas dos cinco principais conglomerados bancários do país. A fatia de mercado do Sicoob, neste comparativo, chega a 10%, e representa um papel fundamental no Sistema Financeiro Nacional ao conferir maior competitividade para o setor e ampliar o acesso da população a serviços financeiros.

Com taxas mais justas do que as praticadas no mercado, o Sicoob tem se mostrado um escape para as micro, pequenas e médias empresas que não conseguiram nos bancos ou que se assustaram com juros altos durante a crise. “Mantivemos as taxas nos patamares do pré-Covid 19 e estivemos sempre dispostos a conversar e negociar com todos”.

Com relação ao público PJ, o Sicoob observou um aumento de quase 50% na carteira de crédito em um ano, saltando de R$ 30,7 bilhões para mais de R$ 45,3 bilhões. A taxa de inadimplência, por sua vez, caiu 1 ponto percentual, atingindo apenas 1,8% em junho de 2021.

Somente em 2020, os cooperados do Sicoob deixaram de gastar mais de R$ 8,3 bilhões em taxas, juros e tarifas. Uma economia de mais de R$ 3 mil por cooperado ativo, segundo pesquisa da instituição. Somando-se as sobras cooperativas, o retorno aos cooperados superou os R$ 11 bilhões, mesmo durante a pandemia.

No começo deste ano, o Sicoob viu sua carteira de crédito crescer 37% com relação ao início de 2020, e ultrapassou os R$ 100 bilhões de saldo no fechamento do primeiro semestre de 2021. A instituição é formada por 16 centrais e 366 singulares e conta, hoje, com mais de 5,2 milhões de cooperados. Somente o público PJ representa quase 20% desta quantidade.
(Com assessoria)