Leo Monte, Diretor de Inovação da Sinqia. Crédito: Divulgação

A Singia por meio do Torq Ventures – programa de Corporate Venture Capital (CVC) da empresa -, investiu R$ 15 milhões na plataforma de open finance Celcoin. Fundada em 2016, a startup foi pioneira ao oferecer infraestrutura de serviços financeiros por meio de APIs e, atualmente, mais de 170 bancos e fintechs usam sua infraestrutura.

O investimento fez parte da rodada em que a Celcoin captou o total de R$ 55 milhões. Com os recursos, a startup quer acelerar o desenvolvimento de produtos e concluir o processo de obtenção das licenças de Instituição de Pagamento e de Iniciador de Transações de Pagamento – nova entidade criada pelo Banco Central para atuar no Open Banking.

Segundo Leo Monte, Diretor de Inovação da Sinqia, o investimento na Celcoin inaugura o programa de inovação aberta e investimentos de Corporate Venture Capital da companhia. Com esse movimento, os mais de 500 clientes da Sinqia poderão contar com soluções de serviços financeiros por meio de APIs da Celcoin para pagamento de contas, débito automático, recargas de celular, PIX, DDA, recargas de transporte, plataformas de streaming, e outros serviços como acesso direto à rede Banco24Horas para saques e depósitos.

A startup também disponibiliza APIs de Open Banking para fintechs que buscam acessar dados de seus usuários a fim de oferecer produtos personalizados e com melhores condições. A empresa atende diversos bancos e instituições financeiras, carteiras digitais, mais de 15 empresas com capital aberto, sete fintechs consideradas unicórnios, além de corretoras, programas de fidelidade, ERPs, marketplaces e operadoras de telefonia.

A Celcoin vem se beneficiando da aceleração do conceito de embedded fintech e viu seu volume de transações crescer quatro vezes nos últimos 12 meses. Mensalmente, mais de 8 milhões de pessoas transacionam volume financeiro superior a R$ 1,5 bilhão pela Celcoin.

Marcelo França, CEO e fundador da Celcoin, espera que a parceria com a Sinqia possa escalar, oferecendo funcionalidades que eram restritas aos grandes bancos. “Somos um grande ‘Lego’ de serviços financeiros abertos por trás dos bancos digitais e fintechs. Estamos agora os ajudando a se tornarem o centro da vida financeira de seus clientes”, aponta.

Para a Sinqia a transação tem como objetivo principal a captura de sinergias de integração e distribuição entre as empresas. PIX, Core Banking e serviços da unidade digital recentemente criada são algumas das prioridades. Além disso, os produtos SaaS da Sinqia passam a contar com a capacidade de distribuição da Celcoin.

Em sua última divulgação de resultados, em março, a Sinqia anunciou grandes avanços do seu programa de inovação aberta e investimentos em startups através da Darwin, Distrito, Astella e Parallax. Hoje, a Sinqia conta com 20 startups no portfólio de investimentos realizados por meio do programa de CVC da empresa. “Começamos a fazer investimentos estratégicos dentro do nosso programa e a Celcoin casa perfeitamente com nossos objetivos”, explica Leo Monte. (Com assessoria).