Desenho conceito das oportunidades de uma startup - Crédito: Freepik

Crédito: Freepik

Os investimentos nas startups brasileiras totalizaram US$ 344 milhões no mês de setembro, em 45 negócios fechados. Em 2021, foram 558 deals e US$ 6,9 bilhões investidos, volume 89% maior do que os US$ 3,6 bilhões de 2020. Os dados são do Inside Venture Capital Report, relatório do Distrito Dataminer, braço de inteligência da plataforma de inovação aberta Distrito.

O relatório também mostrou que o volume investido no terceiro trimestre de 2021 foi 56% maior do que o mesmo período do ano passado. Segundo Tiago Ávila, head do Dataminer, o resultado é uma casualidade. “No ano passado, tivemos três grandes rodadas em setembro, que foram as do Neon, Unico e VTEX”, afirma. Já em setembro de 2021, destacam-se as rodadas da Tembici, de US$ 80 milhões, da Liv Up, de US$ 50 milhões, e da Pier, de US$ 20 milhões.

Entre os setores mais aquecidos de janeiro a setembro deste ano, destacam-se: fintech, com US$ 2,9 bilhões levantados; real estate, US$ 1 bilhão, retailtech, com US$ 982 milhões, edtech, US$ 525 milhões, e mobilidade, com US$ 366 milhões.

O setor das fintechs foi o mais aportado, de acordo com o relatório. Em termos de deals, a pesquisa ressaltou o crescimento no número de deals a partir de 2007. Entre 2007 e 2011, as fintechs contaram com 12 negócios fechados, número que subiu para 124 entre 2012 e 2016. Já entre 2017 e 2021, foram 452 deals voltados para o setor.

Fusões e Aquisições

O relatório também trouxe os dados de M&As (fusões e aquisições) de setembro deste ano. Ao todo, 19 operações foram realizadas, totalizando 178 negócios fechados em 2021. O número já é maior do que as 165 operações realizadas em 2020.

Entre os setores mais visados até agora, destacam-se: fintech, martech, retailtech, edtech e healthtech. A expectativa do Distrito Dataminer é que, até o fim de 2021, 210 negócios sejam acordados.