Crédito: Divulgação

A TIM divulgou nesta quinta-feira, 13, o seu Relatório ESG (do inglês Environmental, Social and Governance) referente a 2020. O documento – anteriormente chamado de Relatório de Sustentabilidade – foi desenvolvido com foco nas práticas ESG da TIM, testando a materialidade dos assuntos por clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores e sociedade em geral.

Acompanhando a demanda crescente pela atuação e contribuição não financeira, o documento traz o novo capítulo “Estratégia ESG”, dedicado a apresentar de forma mais estruturada as metas da TIM sobre o tema, incluindo os 15 compromissos presentes no Plano ESG 2021-2023 da companhia.

Um desses objetivos é promover um ambiente ainda mais inclusivo, com pelo menos 40% de pessoas negras no quadro de trabalho e 35% de mulheres em posições de liderança até 2023. Ainda dentro do pilar Social, a TIM alcançou, em 2020, o índice de 99% dos colaboradores treinados em cultura ESG e 1.486 funcionários habilitados em capacidades digitais, além de 84% de favorabilidade na Pesquisa Clima. A TIM está trabalhando também em sua meta de presença 4G em 100% dos municípios brasileiros até 2023.

A operadora reforça no relatório o objetivo de reduzir as emissões indiretas de CO2 em 70% até 2025. Outras metas são chegar a 90% de sua matriz energética oriunda de fontes renováveis, reciclar mais de 95% dos resíduos sólidos e alcançar mais de 80% de ecoeficiência no tráfego de dados, mantendo como alvo se tornar 100% carbono neutro até 2030.

A TIM terminou o ano de 2020 com aumento de 64% na eficiência energética no tráfego de dados, reduziu em 28% as emissões indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) e 30% as emissões de GEE, além de ter registrado 64% de consumo de energia proveniente de fontes renováveis.