Sede do Nubank com a logomarca em destaque

Sede do Nubank Crédito: Divulgação

As três primeiras startups selecionadas para o fundo de investimento Semente Preta foram divulgadas nesta segunda-feira, 14, pelo Nubank. As escolhidas foram {Parças}, de Alan Almeida, OnlineOS, de Isaque Cruz e Rafael Alves, e TeamHub, de Tatiana Santarelli.

A iniciativa vai destinar um total de R$ 1 milhão para startups brasileiras criadas por empreendedores negros e negras. As inscrições estão para a próxima rodada de seleção, que encerra em setembro deste ano.

Anunciado no final de março, o Semente Preta busca incentivar a diversidade no ambiente de inovação e tecnologia no Brasil, selecionando empresas em estágio de validação de seu produto mínimo viável (MVP) e que tenham impacto positivo no mercado que atuam. São consideradas startups dos seguintes setores: serviços financeiros, dados, pessoas, marketing digital, jogos, softwares, aplicativos e programação, entre outros.

“O Semente Preta nasceu de um desejo de fomentar um ambiente de tecnologia que reflita a pluralidade que existe no país. Para o Nubank, é uma honra poder atuar ativamente no incentivo da inovação e apoiar iniciativas que, assim como nós, estão focadas em resolver questões importantes em seus mercados, com o objetivo de fazer a diferença na vida dos brasileiros”, afirma David Vélez, CEO e fundador do Nubank.

Além do suporte financeiro, o Nubank irá promover troca de experiências e networking dos selecionados com outros players do mercado. O banco digital também oferecerá sessões de mentoria dos empreendedores com diferentes times do banco digital.

As escolhidas

Em 2017, o empreendedor e bacharel em Direito Alan Almeida criou a {Parças} com a missão de “transformar as penitenciárias brasileiras em células de crescimento pessoal”. Hoje, a {Parças} tem mais de uma dezena de pessoas em tempo integral dedicadas a dar uma chance para esse público majoritariamente marginalizado. A expectativa é que, até o final de 2021, 1.000 alunos passem pelos cursos da empresa.

Já a TeamHub nasceu pelas mãos de Tatiana Santarelli, que decidiu empreender quando estava há quase 20 anos no mercado de Gestão de Pessoas. Os desafios que vieram com a pandemia remodelaram o negócio e o momento agora é de crescimento. Neste ano, o objetivo é investir ainda mais nas áreas de marketing, tecnologia e aumentar o número de pessoas que atuam na TeamHub.

Isaque Cruz e Rafael Alves queriam fazer a diferença e encontraram esse propósito ao montarem juntos a OnlineOS. Ao observar os desafios que um dos irmãos de Isaque enfrentava com sua prestadora de serviços, montaram um sistema de baixo custo para auxiliar as operações de pequenos negócios e oferecer softwares acessíveis. De 2019 para cá, o projeto evoluiu e hoje ambos dedicam 100% do seu tempo ao empreendimento. (Com assessoria de imprensa)