Foto de Diego Martins, CEO da unico, com logomarca da empresa ao fundo

Diego Martins, CEO da unico Crédito: Divulgação

A unico, IDTech brasileira de soluções de proteção de identidade digital, anunciou nesta terça-feira, 3, que recebeu aporte de R$ 625 milhões, investidos pelos fundos General Atlantic e SoftBank Latin America Fund.

O montante chega após 10 meses do investimento de R$ 580 milhões pelos mesmos fundos. A rodada contou, ainda, com a participação de Micky Malta, sócio da Ribbit Capital, e do Big Bets. Com o anúncio, o valor de mercado da IDtech ultrapassa USD 1 bilhão e consolida a unico como o mais novo unicórnio brasileiro.

Criada em 2007, a Único tem crescido impulsionada pela digitalização das empresas. Atualmente, a companhia tem cerca de 800 clientes, incluindo Magazine Luiza, Pernambucas, C6 Bank, Banco Original e B2W.

Com a grande demanda por identificação digital, a Unico também investiu em novas aquisições. Em 2020, comprou a startup gaúcha de análise de imagens Meerkat. Neste ano, adquiriu a Vianuvem e a CredDefense, especializadas em biometria para comércio de veículos, o que triplicou o seu quadro de funcionários para cerca de 700 colaboradores.

De acordo com Diego Martins, fundador e CEO da unico, o aporte coloca a empresa no caminho certo para se tornar uma big tech brasileira com inovação proprietária, com o objetivo de fazer da identidade digital a chave para conectar pessoas a todos os serviços e transações do dia a dia. “Desde a última rodada de investimentos, temos trabalhado duro para estruturar nosso crescimento exponencial de forma sustentável, pensando em três pilares: nosso time, nossas tecnologias próprias, e nossa expansão orgânica e por aquisições”, enfatiza Diego.

Para Paulo Passoni, sócio do SoftBank Latin America Fund, o retorno do investimento inicial, feito em setembro de 2020 pelos fundos, confirma o potencial deste segmento, não só no Brasil, mas no mundo. “Em meio a uma crise tão severa, nos traz confiança ver uma empresa que triplica de tamanho enquanto desenvolve tecnologia proprietária. O ecossistema e o pipeline da unico tornam a IDtech um celeiro de inovação dentro e fora do Brasil. Por isso, continuamos a investir e a acreditar nesse novo unicórnio”, finaliza.

(com assessoria de imprensa)