Vitreo lança ETF com índice de criptomoedas -credito-flickr

Crédito: Flickr

A Vitreo, especializada em gestão de recursos, lançou este mês o seu primeiro ETF (fundo de índice de mercado negociado em bolsa de valores). O Empiricus Teva Criptomoedas é constituído nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nº 359/02.

O ETF adota o Teva Criptomoedas Top20 como índice de referência – o primeiro índice de criptomoedas brasileiro, criado e mantido pela brasileira Teva Índices. O objetivo do ETF é refletir o retorno da carteira diversificada do índice Teva Criptomoedas Top20, composta pelas 20 criptomoedas com maior valor de mercado disponíveis para negociação e que atendam a critérios razoáveis de liquidez e elegibilidade. O índice tem rebalanceamento mensal, sempre no primeiro dia útil, levando em consideração todos os dados até o último dia útil do mês anterior e o preço no dia do ajuste.

O ETF tem taxa de administração de 0,75% ao ano e não tem taxa de performance. Na largada, as principais posições da carteira do ETF são Bitcoin (58,1%), Ethereum (25,6%), Cardano (2,7%) e Solana (2,5%) (veja lista completa abaixo).

Para George Wachsmann, CEO da Vitreo, o ETF é composto por moedas que possuem boa liquidez e replicam um recorte do mercado, devido à adoção do índice Teva Criptomoedas Top20. Os critérios de elegibilidade impedem que a carteira seja composta por ativos sem fundamento ou que repliquem outros criptoativos.

“A intenção da Teva foi criar regras de exclusão de ativos que não representam o mercado do ponto de vista fundamentalista. Temos que seguir a regra do índice, que busca se aliar aos mecanismos que se assemelham a nossa essência. Não fazem parte do índice, por exemplo, algumas variações de bitcoins, abrindo espaço para ativos que vão compor melhor o índice”, afirma Wachsmann.

O ETF será negociado no mercado secundário sob o ticker “CRPT11” e terá valor inicial estimado de R$ 9,62 por cota.

(Com assessoria)