Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

A XP lança, nesta quinta-feira, um fundo de empresas biotecnologia, biotech, com soluções para a pandemia e inovação na saúde. O Trend Biotecnologia replicará o fundo de índice (ETF) Invesco Nasdaq Biotech, que agrupa 274 companhias listadas nos Estados Unidos, incluindo algumas que tiveram recente sucesso no desenvolvimento de vacinas contra a covid-19, como AztraZeneca, Moderna e Pfizer-BioNTech.

“Trata-se de um fundo de investimento de longo prazo, que vai além da luta contra a Covid. São empresas que trabalham para mitigar futuras pandemias e curar doenças hoje incuráveis”, diz Henrique Sana, estrategista de índices & ETFs da XP.

Voltado ao público em geral, o fundo terá investimento mínimo de R$ 100, taxa de administração de 0,5%, e proteção contra oscilações do câmbio. O Invesco Nasdaq Biotech, ETF que o fundo replica, existe desde 2004, e tem retorno acumulado de 13,8% ao ano nos últimos quinze anos, acima dos 9,9% ao ano registrado no mesmo período pelo S&P500.

Segundo Sana, o setor de biotecnologia é um dos que mais investe em pesquisa e desenvolvimento do mundo, movimentando um mercado de US$ 61,2 bilhões em ativos sob custódia, e com mais de US$ 16 bilhões em aportes no último ano.

O índice engloba iniciativas inovadoras na área de saúde em geral, incluindo foodtechs, empresas de biocomputação, de órgãos sintéticos, que atuam em soluções para terapia genética e molecular, cura do câncer, Alzheimer, entre outras áreas.

A Nasdaq é a bolsa líder de IPOs de empresas Biotech no mundo, com mais de 117 companhias listadas com valor de mercado superior a US$ 1 bilhão. Na B3, há apenas 10 ações de empresas do setor de saúde tradicional, focado em hospitais, clínicas e diagnósticos — e somente quatro delas tem valor superior a US$ 1 bilhão. “É um setor praticamente inexistente no Brasil. Lá fora, empresas globais oferecem soluções disruptivas e que estão na vanguarda da tecnologia global”, justifica Sana.

 

(Com assessoria)